Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Farmácia foi tema de palestra realizado na manhã desta terça-feira, 22 de maio, no auditório da Fibra. O evento iniciou com as palavras da coordenadora do curso de Farmácia, Maria Lúcia Ribeiro. Na ocasião, ela agradeceu a participação dos palestrantes, docentes e discentes, para o debate de um tema relevante. 

A assessora da Presidência do Conselho Federal de Farmácia, Zilamar Costa, apresentou as novas diretrizes curriculares do curso, destacando o papel do professor em sala de aula, principalmente a integração dos conhecimentos e habilidades com foco no ser humano. “Estamos à frente de um novo paradigma, o professor não é mais o centralizador, hoje o estudante é um elemento ativo. Então, precisamos modificar a forma de ensinar e aprender junto com o aluno, e isso traz um olhar diferente”, ressaltou.

Zilamar Costa destacou as dez competências que o professor deverá seguir de acordo com nova diretriz curricular, entre elas, a inovação, tolerância, sempre serem aberto para perguntas dos alunos, organização, preparação, humildade, contador de histórias e dentre outras novas regras. 

Logo após, o Presidente do Conselho Federal de Farmácia, Dr. Walter Jorge João, falou sobre sua luta dentro do Conselho Federal de Farmácia. Segundo Walter João, há novas áreas de atuação para o profissional farmacêutico, além do aumento de faculdades que oferecem o curso.  “A atuação do farmacêutico tem crescido, mas ainda precisamos de valorização”, comentou.

O evento teve apoio do Centro Acadêmico de Farmácia da Faculdade Integrada Brasil Amazônia - FIBRA, e contou com a presença dos discentes e docentes da instituição, além da participação da Diretora Acadêmica, Irene Noronha.